Confirmada a aquisição da APPE pela Plastipak

image

Foi completada a venda da APPE, anterior divisão de embalagem da La Seda de Barcelona, à Plastipak Packaging. Na sequência da da aprovação pela Comissão Europeia, a APPE assume de imediato a designação Plastipak Packaging. Fundada em 1967 e sediada em Plymouth, Michigan, EUA, a Plastipak Packaging opera mais de 37 instalações com um total de 5000 empregados, para projectar e fabricar embalagens de plástico rígido para alimentos, bebidas e outros produtos de consumo.
A aquisição vai reforçar significativamente a posição da Plastipack na Europa, combinando 15 fábricas em 12 países. Martins Hargreaves foi designado Managing Director para a Europa.

Seminário POLÍMEROS 2015

image

Plásticos em África

A AMI (Applied Market Information Ltd.) publicou a sua primeira base de dados de transformadores de plásticos em África, contendo contactos e informação de produtos de 776 fábricas. O mercado africano consome cerca de 8 milhões de toneladas de polímeros e deverá crescer 8% ao ano até 2018, pelo que é uma região de interesse. O estudo da AMI incide sobre 10 processos de transformação, incluindo injecção, extrusão e composição, em 19 países.

A maior fatia do sector transformador (50%) é representada pelos fabricantes de embalagens para alimentos, seguindo-se o subsector do fabrico de tubos (20%). Cerca de 97% dos plásticos transformados em África são commodities. O PE é transformado em 82% das fábricas, o PP é transformado em 44% e o PVC em 23% das fábricas listadas na base de dados da AMI.

Mais de metade das fábricas referenciadas está equipada com máquinas de injecção e os artigos domésticos são o principal grupo de produtos, fabricados em 35% das fábricas.  As empresas diferem em dimensão e em produtos, mas têm um ponto comum: na sua grande maioria fabricam para vender. Quase 80% das fábricas de injecção e de sopro fabricam para clientes e a moldação in house ainda não é significativa.

A grande maioria dos transformadores de plásticos são empresas privadas ou parte de grupos empresariais africanos. Os grupos Nampak (África do Sul), Sona (Nigéria), Flame Tree (Quénia) e ENPC (Argélia) estão entre os maiores grupos que operam várias fábricas. Alguns grupos internacionais investiram em África, sobretudo grupos europeus que trabalham para o sector automóvel ou grupos dedicados à embalagem no Norte de África, uma região que oferece baixos overheads, uma força laboral disponível e uma posição geográfica favorável para exportar para a Europa. A base de dados da AMI também inclui detalhes de fábricas africanas de grupos como Nexans (França), El Sewedy (Egipto), Bericap (Alemanha), CFAO (França), Clariant (Suiça) e EXCO Automotive (EUA).

imageA base de dados abrange 19 países, sendo a África do Sul o que conta com maior número de fábricas neste continente, representando cerca de um quarto do total de fábricas listadas, as quais estão mais avançadas do ponto de vista técnico e logístico. O Egipto está em segundo lugar em número de fábricas, enquanto Marrocos e a Argélia contam com empresas transformadoras desenvolvidas. Na região leste, destaca-se o sector de plásticos do Quénia e também a Etiópia como base para esta indústria. Na região oeste, destaca-se a Nigéria.

EUROMAP: Recomendações e Etiqueta Energética

image_thumbO acordo alargado de um vasto grupo de construtores de máquinas de injecção permitiu desenvolver as normas de medição energética EUROMAP 60.1 e EUROMAP 60.2 para este tipo de máquinas. A norma EUROMAP 60.1 (clicar para ler) fornece uma panorâmica inicial do consumo de energia relacionado com a máquina; a norma EUROMAP 60.2 também permite considerar aplicações complexas e específicas do utilizador e compará-las em relação com o produto. Com estas normas para medição do consumo específico de energia, os fabricantes têm uma responsabilidade acrescida: a transparência exigida pelas normas exige que desenvolvam tecnologias cada vez mais eficientes no que respeita ao uso da energia. A Etiqueta de Eficiência Energética da EUROMAP é uma etiqueta de uso voluntário com uma base técnica comum para comparação entre máquinas.
Também existem normas de medição de energia para máquinas de extrusão-sopro (EUROMAP 46 parte 1 e EUROMAP 46 parte 2) e estão em desenvolvimento normas similares para outras máquinas, como as de termoformagem.

Conferência AMI sobre Aditivos para Poliolefinas

imageAs poliolefinas lideram os mercados globais de plásticos comuns em volume e em diversidade de aplicações e funções. Noru Tasalic, da AMI Consulting vai sublinhas as tendências de mercado na próxima conferência internacional sobre aditivos para poliolefinas e sobre produção de compostos. A conferência vai realizar-se nos dias 20 a 22 de Outubro, em Colónia, Alemanha.
Os tubos de polietileno continuam a ganhar quota de mercado no sector da construção, os filmes agrícolas estão a mudar a produção nas regiões áridas, o polipropileno é cada vez mais usado na produção de embalagens,maximizando a protecção de alimentos e minimizando os resíduos, e no sector automóvel, as poliolefinas continuam a reduzirpeso e a substituir metais. As diferentes propriedades do PE e do PP são obtidas através da selecção criteriosa dos graus, aditivos, reforços e métodos de processamento. A A. Schulman está a rever o modo de produzir compostos de PP de modo a obter determinadas propriedades e a Lummus Novolen Techniology estudou a forma de obter funcionalidades avançadas para o PP. Existem actualmente várias utilizações de compostos de PP em larga escala, especialmente bno sector automóvel e a Leistritz Extrusionstechnik tem novo equipamento para aumentar a escala do processo de composição, enquanto a Automatik Plastics Machinery disponibiliza tecnologia de topo para a peletização.

A Polykemi (Suécia) desenvolveu um PP reforçado com talco para reduzir o peso em aplicações auto. Para aplicações interiores, a Sinopec (China) estudou formulações de aditivos para minimizar as emissões de COVs (compostos orgânicos voláteis) do PP. Para aplicações exteriores, a Croda focou a sua atenção nos aditivos destinados a assegurar a resistência ao risco. A Kaerntner Montanindustrie fornece minerais funcionais que também podem ser usados para melhorar a resistência ao risco, juntamente com a redução da deformação e com o reforço. Este ano, há também novos desenvolvimentos em minerais, incluindo uma nova pirofilite da Trinity Resources (Canadá).

A conferência da AMI vai juntar especialistas da indústria para debater os compostos e resinas para um vasto leque de aplicações, desde os cabos até aos filmes de embalagem. A Kabelwerk Eupen vai descrever os desenvolvimentos recentes em retardantes e a Cytec vai debruçar-se sobre os estabilizantes, que são críticos para aplicações no sector da construção. A Borealis Polyolefine vai examinar o modo de gerir as propriedades óticas dos dfilmes transparentes através de uma composição criteriosa. Aditivos poliméricos como os ionómeros podem melhorar os compostos, como ´+e o caso dos produtos da Cray Valley e da Arkema. Este ano, haverá um foco especial na estabilização, que assegura durabilidade e melhoria de desempenho. A BASF reviu os estabilizantes para usos específicos, a DDover Chemical desenvolveu novos estabilizantes poliméricos-fosfite libres de alquilfenol e a Addivant tem novas soluções para PELBD. Na Ásiam, a Songwon tem novos estabilizantes de alta performance, enquanto a Everpring Middle East vai levara esta conferência mais uma perspectiva.

A sustentabilidade é um aspecto chave para o futuro da indústria de plásticos, e será o tema de uma comunicação sobre a composição e o desempenho de reciclados da Quality Circular Polymers (QCP), nova empresa holandesa no sector da reciclagem. A legislação europeia aponta para o aumento das taxas de reciclagem de materiais usados como as embalagens, os artigos eléctricos e os veículos. Por isso, este tópico está na ordem do dia.

Para mais informações sobre esta conferência, clicar AQUI.

Conferência sobre espumas plásticas

image_thumb[1]A próxima conferência internacional Polymer Foam 2015, organizada pela AMI, reunirá produtores e especialistas de espumas de todo o mundo e terá lugar nos dias 2 a 4 de Novembro em Colónia, Alemanha. O recurso à tecnologia de espuma está a aumentar em todos os campos do processamento de plásticos e o professor Volker Altstaedt abrirá a conferência com uma panorâmica sobre o estado da arte desta tecnologia. As principais aplicações vão desde a construção de painéis para paredes até ao fabrico e tubos e revestimentos, mobiliário, componentes auto, estruturas compósitas para aplicações navais e eólicas (como é o caso das espumas fornecidas por empresas como a 3A Composites/Airex, para além das embalagens protectoras.
As espumas plásticas têm propriedades benéficas como o isolamento térmico e sonoro. A Armacell e a Techno Nicol estão na linha da frente nas espumas para construção, enquajhnto a BASF Polyurethans tem um um novo material de isolamento de alta performance. As espumas apresentam outras vantagens como o amortecimento e a resistência ao impacto, a redução de peso e de custos, devido à baixa densidade do material. As espumas podem ser fabricadas com equipamentos de tipos diversos (extrusoras, máquinas de injecção, expansão a vapor) e com técnicas igualmente diversas, desde a moldação estrutural até à extrusão plana.
No sector automóvel, a Valeo Thermal Systems está a usar a tecnologia de espumas para reduzir tempos de ciclo e de peso. A Faurecia Interior Systems tem vindo a trabalhar na optimização da morfologia de um isolador híbrido rígido fabricado por injecção. A Mecaplast, por seu turno, tem vindo a desenvolver, em colaboração com várias empresas do sector automóvel, novas soluções para fabricar peças visíveis baseadas na tecnologia de espumas.
Registam-se entretanto inovações na área das espumas, tais como a melhoria da estrutura celular. Em termos de poliolefinas, a Sinopec (China) produziu um copolímero para uso em "pérolas" de PE expandido, e a Total (Bélgica) tem um novo grau de PEBD para espumas de alto desempenho. A reciclagem de espumas também está a afirmar-se e empresas como a Schmitz Holding estão a retomar resíduos industriais de XPE.

Aumenta também o interesse pelo fabrico de embalagens a partir de materiais de origem "bio" e biodegradáveis. A Inde Plastik Betriebs produziu tabuleiros de espuma a partir de acetato de celulose modificado e a Macro Engineering levou a cabo estudos para optimizar o equipamento para extrusão tandem de PLA resistente à temperatura para embalagens compatíveis com os processos de enchimento a quente.
A conferência irá destacar também os desenvolvimentos recentes na área dos agentes expansores e nucleantes, designadamente algumas ideias para substituir as azodicarbonamidas, como é o caso dos agentes químicos endotérmicos da Reedy Chemical Foam & Specialty Additives. A Clariant Masterbatch vai apresentar o estado actual dos agentes expansores e nucleantes na indústria e a Imerys vai destacar um novo agente nucleante.

No sector do poliestireno, a Dow desenvolveu uma nova espuma micro-celular de baixa densidade. As pérolas de PS são habitualmente produzidas com um agente expansor baseado em pentano, mas já existem alternativas, com melhor desempenho ambiental. Por exemplo, a SABIC tem obtido bons resultados na expansão de PS com água.

O controlo da estrutura da espuma determina as propriedades e a qualidade dos produtos resultantes. O Prof. Perez, do  Cellular Materials Laboratory estudou a forma de melhorar a performance de estruturas celulares em escala nano. O construtur de extrusoras de fusos paralelos desenvolveu tecnologia para métodos físicos e químicos para produção de espumas. A Promix Solutions está focada no controlo do processo de formação de espumas.

Para mais informação sobre a conferência internacional Polymer Foam 2015, clicar AQUI.

Espumas plásticas com propriedades insecticidas

imageO Centro Tecnológico de Plásticos AIMPLAS, a Inesfly Corporation de Valência e a Universidade de Saragoça estão a desenvolver um processo de incorporação de substâncias insecticidas em espumas plásticas. O novo material permitirá fabricar solas de sandálias e tapetes que repelem os insectos transmissores de doenças como a malária, a febre dengue, a tripanossomíase americana (doença de Chagas) e a leishmaniose.

LEIA O RESTO DA NOTÍCIA

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.