Como gerir em conjuntura difícil

“Por vezes um país pode não estar muito bem e, apesar disso, as empresas desse país podem estar bem. Tudo depende do que as empresas fizerem” –  é a opinião de Daniel Gambús, director geral da Sabic Marketing Ibérica, expressa no primeiro dia do XXVI Seminário de Plásticos. Como exemplos de boas práticas para lidar com a conjuntura difícil, Daniel Gambús referiu as máquinas de injecção eléctrica, com economia de energia na ordem dos 30% ou mais, a tecnologia de coextrusão-sopro, as extrusoras de alta velocidade e duplo fuso, a coextrusão de filmes, etc..

Neste contexto, o director da Sabic referiu novos graus de matérias-primas com características que respondem às necessidades de eficiência de energia. É o caso do novo  PP random cristal permite a redução da temperatura de processamento e do tempo de ciclo, donde resulta uma economia de energia na ordem de 25%. É o caso do novo PE flowpact, com ciclos mais curtos e tempos de enchimento mais rápido. Neste caso, a economia de energia em processos de injecção pode ir até aos 10%. Para a área de embalagem, destaca-se o PEAD para moldação-sopro de embalagens de leite e sumos, com propriedades organolépticas adequadas, e também com reciclagem mais fácil. A Sabic está também a lançar um novo PEAD para produção de contentores industriais, bem como uma nova série de poliolefinas para aplicações sanitárias, produzidas em reactores dedicados e conformes com os requisitos da farmacopeia europeia.