Reciclagem de plásticos pode criar 50 000 novos empregos na UE

"Se a Europa quer criar mais empregos (verdes) na União Europeia, deve ouvir os recicladores de plásticos e ajudá-los a manter os fluxos de resíduos para serem tratados na Europa. Estes materiais pertencem aos cidadãos europeus, que pagaram para que esses resíduos sejam um recurso para a Europa e tornem esta menos dependente das matérias-primas virgens. Se os Estados membros concordarem em limitar as exportações, essa mudança de política poderá criar 50 000 empregos directos adicionais. Os recicladores NÃO estão a pedir apoio financeiro algum, mas pretendem que os fluxos de resíduos sejam tratados na Europa para criar empregos adicionais" – disse Bernard Merkx, presidente da EuPR num jantar-debate com eurodeputados e funcionários da Comissão Europeia.

No dia 4 de Outubro, a eurodeputada dinamarquesa Anna Rosbach foi anfitriâ do jantar-debate organizado pela EuPR sobre a questão das exportações de resíduos de plástico. O jantar teve lugar no Parlamento Europeu e contou com mais de 30 participantes, incluindo funcionários da Comissão Europeia e eurodeputados, que ouviram as propostas dos recicladores de plásticos no sentido da limitação das exportações e do aumento da eficiência dos recursos materiais na Europa.

Bernard Merkx, presidente da EuPR apresentou 10 propostas concretas que podem ser adoptadas pela UE e pelas autoridades nacionais para aumentar a reciclagem mecânica de plásticos na Europa. O documento estratégico proposto pela EuPR (em inglês) pode ser obtido CLICANDO AQUI.

"Hoje, mais de dois terços do total de resíduos plásticos, são exportados para fora da UE" – referiu Bernard Merkx. Os recicladores de plásticos investiram fortemente em novos equipamentos, linhas de triagem e capacidades adicionais, mas o aumento das exportações pode pôr em causa esses investimentos.

Alexandre Dangis, director executivo da EuPC (European Plastics Converters) disse que "o aumento da utilização de reciclados pode reduzir muito as emissões de CO2, mas é necessário o aprovisionamento estável de resíduos para que se possam produzir materiais de qualidade susceptíveis de substituir os plásticos virgens em certas aplicações. Isto só pode ser atingido se as empresas europeias que asseguram a reciclagem mecânica de plásticos tiverem mais e melhor acesso aos fluxos de resíduos europeus e se desenvolveram materiais de qualidade para serem reincorporados em novos produtos finais. Se os políticos da UE pensarem seriamente na eficiência de recursos, então deverão alterar a actual directiva embalagens e solicitar aos Estados Membros que reportem apenas a reciclagem material na Europa e contabilizem os volumes exportados".

O presidente da EuPR acrescentou que "se a Europa quer criar mais empregos (verdes) na União Europeia, deve ouvir os recicladores de plásticos e ajudá-los a manter os fluxos de resíduos para serem tratados na Europa. Estes materiais pertencem aos cidadãos europeus, que pagaram para que esses resíduos sejam um recurso para a Europa e tornem esta menos dependente das matérias-primas virgens. Se os Estados membros concordarem em limitar as exportações, essa mudança de política poderá criar 50 000 empregos directos adicionais. Os recicladores NÃO estão a pedir apoio financeiro algum, mas pretendem que os fluxos de resíduos sejam tratados na Europa para criar empregos adicionais".

Os recicladores de plásticos estão também prontos para mobilizar os seus conhecimentos e oferecer soluções para o problema do abandono de resíduos plásticos no meio marinho. Vários recicladores estão prontos para tratar esses resíduos e desenvolver o potencial de mercado na Europa para reutilizar essas fracções mistas.

A eurodeputada Anna Rosbach concluiu o jantar disponibilizando-se para colaborar com os recicladores e a EuPR no esforço para convencer os seus colegas eurodeputados e os funcionários da Comissão Europeia para agir no sentido de passar da situação actual em que a europa é exportadora líquida de resíduos plásticos para uma situação em que a maior parte desses resíduos seja processada por reciclagem mecânica na Europa, tornando assim mais sustentável a indústria de reciclagem de plásticos na UE. Agradeceu a oportunidade de trabalhar com os recicladores de plásticos na resposta aos desafios da poluição marinha, de forma a preservar os mares e oceanos para as gerações futuras.

A EuPR é a associação representativa dos recicladores de plásticos europeus. Promove a reciclagem mecânica e a criação de condições para que esta actividade seja um negócio rentável e sustentável, oferecendo uma plataforma de serviços aos seus membros. Os filiados na EuPR representam 80% da capacidade de reciclagem instalada na Europa e processam mais de 5 milhões de toneladas de resíduos de plástico.