Práticas de rega e poupança de água

A revisão do abastecimento de água na agricultura pode poupar 17 mil milhões de euros  só na Itália, durante um período de 30 anos, segundo um estudo recente financiado pela Borealis e por um grupo de empresas. Investimentos, inovação e melhoria das políticas de gestão da água são as receitas indicadas estudo “Water management policies in agriculture”, elaborado pela Althesys Strategic Consultants.
As conclusões foram apresentadas em Roma e deram origem a debates e projectos de cooperação entre várias entidades, com o objectivo de planear acções destinadas a seguir as principais recomendações do estudo. A pesquisa envolveu a análise de práticas em quatro áreas críticas: métodos de rega (gota-a-gota e micro-aspersão em vez dos sistemas de aspersão convencionais), modelos de gestão (serviços de informação para os agricultores), novas tecnologias (sistemas automatizados) e redes de abastecimento e distribuição (substituição dos canais abertos por condutas e reparação das existentes).

Segundo o Prof. Alessandro Marangoni, economista e especialista nos sectores da energia e ambiente, o uso da rega gota-a-gota e e da micro-aspersão em lugar da aspersão convencional pode representar um benefício entre 2,9 e 4,3 mil milhões de euros durante os próximos 30 anos. No abastecimento agrícola, a substituição dos canais abertos pode representar um benefício entre os 4 e os 8,1 mil milhões de euros. Os canais abertos ainda existem no sul na Europa e na Ásia, mas provocam perda de água por infiltração e evaporação.