ISO 150001 – Sistemas de Gestão de Energia

Se nada for feito para reduzir as emissões de CO2, estas poderão duplicar até 2050. As Nações Unidas estimam os prejuízos causados pelas alterações climáticas poderão situar-se entre 50 e 170 biliões de USD por volta do ano 2030. A aposta nas fontes de energia que implicam menos emissões e nas medidas de eficiência energética são, por isso, prioridades transversais a todos os sectores de actividade, partilhadas por estados, empresas e cidadãos.
A normalização internacional, em que se destaca a ISO, tem um papel a desempenhar na promoção da eficiência energética, através dos trabalhos desenvolvidos pelos seus vários Comités Técnicos, em áreas tão diversas com os automóveis, os edifícios e os variados tipos de equipamentos industriais. Por outro lado, e a par da normalização da terminologia sobre energia e da definição sobre a "pegada energética" (a futura norma ISO 14067), está em curso um novo sistema de normas sobre Sistemas de Gestão de Energia – ISO 150001, que vai certamente assumir um papel tão importante na vida das empresas como as normas ISO 9000 (Sistemas de Gestão da Qualidade) e ISO 14000 (Sistema de Gestão Ambiental). A gestão da energia, orientada para a procura de soluções mais eficientes é um imperativo de primeira ordem não só do ponto de vista económico, mas também dos pontos de vista social e ambiental.
As normas ISO 9000 e ISO 14000 tiveram sucesso na sua implementação e continuam a influenciar as organizações no sentido da procura de melhorias. A ISO está agora apostada em obter resultados pelo menos comparáveis com o novo sistema de normas ISO 150001. Vários países e espaços económicos criaram normas específicas para a gestão da energia. É o caso da China, da Irlanda, da Coreia, dos EUA e da União Europeia (EN 16001 – Energy Management Systems). A ISO considera esta área como uma das cinco prioridades de desenvolvimento da normalização internacional.

A adopção de sistemas de gestão da energia pode dar origem a melhorias de eficiência de 20 % ou mais, a médio prazo, prevê um estudo da UNIDO de 2008 (McKane et al., Policies for Promoting Industrial Energy Efficiency in Developing Countries and Transitional Economics). Os sectores de actividade onde faz sentido implementar sistemas de gestão da energia representam cerca de 60% da procura total de energia.

Normas para breve

Em Fevereiro de 2008, a ISO criou o Comité de Projecto ISO/PC 242 – Energy Management com o objectivo de preparar o novo sistema de normas ISO 150001 com base nas normas já existentes e nas boas práticas mais avançadas em matéria de gestão da energia. O resultado dos trabalhos desse Comité de Projecto é o documento FDIS (Final Draft International Standard). Vários países estão já a preparar-se para implementar esta norma o mais depressa possível.
O principal objectivo da norma ISO 150001 é integrar a gestão da energia nos procedimentos de gestão habituais das empresas e das organizações, adoptando uma metodologia comum para:

– identificar e quantificar os activos consumidores de energia,
– medir, documentar, comparar e reportar consumos de energia e estabelecer objectivos de redução,
– medir e documentar os efeitos equivalentes em emissões de gases com efeito de estufa,
– tornar a informação e a comunicação sobre energia mais transparente dentro da empresa ou organização,
– promover boas práticas e comportamentos economizadores de energia,
– facilitar o estudo de soluções e alternativas de investimento em activos que aportem níveis mais elevados de eficiência energética,
– integrar o sistema de gestão da energia com outros sistemas de gestão, designadamente ambiental e de saúde e segurança.

Atendendo à evolução do preço do petróleo, ao crescendo das preocupações ambientais, ao custo da energia e à crise económica, é de prever que a norma ISO 150001 tenha uma implementação generalizada mais rápida que as normas ISO 9000 e ISO 14000. Se forem bem implementados e praticados, os sistemas de gestão da energia podem ter reflexo imediato nas contas da empresa.