PLA mais resistente à temperatura

As indústrias de embalagem têm vindo a recorrer mais a biopolímeros baseados em polímeros de ácido láctico (PLA) como alternativa aos plásticos baseados no petróleo. O PLA é obtido a partir do amido de milho e é completamente biodegradável. No entanto, e até muito recentemente, o PLA tinha a limitação de perder a rigidez a partir dos 60 °C, o que afastava as aplicações que envolvem temperaturas superiores. Os investigadores do Instituto Fraunhofer de Pesquisas Aplicadas de Polímeros (IAP), de Potsdam (Alemanha), encontraram uma forma de aumentar a resistência térmica deste bioplástico. Uma das aplicações mais interessantes é na indústria de embalagem alimentar: o enchimento de copos de iogurte a temperaturas mais elevadas. Os copos fabricados em "stereo-complexos" de PLA mantêm a forma e permanecem estáveis mesmo a temperaturas até aos 120 °C. O Dr. Johannes Ganster, director de divisão do IAP, explica o princípio: "para tornar os plásticos de PLA mais estáveis a temperaturas mais elevadas, introduzimos stereo-complexos com componentes especiais de L-lactida e D-lactida. Estas moléculas rotativas nas direcções esquerda e direita complementam-se entre si para tornar a liga mais estável".
Várias empresas já mostraram interesse, considerando o potencial. A produção de biopolímeros de PLA é independente da escassez progressiva do petróleo. Além disso, o novo material é compostável e também pode ser reciclado por decomposição em ácido láctico. A grande vantagem está no facto de poder ser são durável como qualquer plástico baseado no petróleo, e pode ser usado para muitos outros produtos, como filmes de protecção, caixas de computadores e sacos de compras. O IAP está actualmente a trabalhar com um fabricante alemão interessado em utilizar este novo material.