PET: mais capacidade na Europa

Em 2013, a procura de PET na Europa excedeu a capacidade instalada em 350 mil toneladas. Segundo a GSI – Global Service International, a situação deverá inverter-se a partir de 2015 com o arranque de novas capacidades de produção: mais 640 mil t/a na Europa e 1640 mil t/a fora da Europa. Entretanto, a Europa manter-se-á como principal importadora de PET (550 mil t em 2013 e previsão de 750 mil t em 2014) e a Índia deverá afirmar-se como principal exportadora para a Europa.
Os aumentos de capacidade vão agravar a situação de sobrecapacidade global, estimada actualmente em 6 milhões de t, o que significa que a indústria produtora de PET terá que lidar com a redução dos preços do PET e com uma nova vaga de "consolidação" no sector. A confirmar-se a pressão no sentido da redução dos preços, reduzir-se-á a diferença entre o PET virgem e o PET reciclado (rPET) e o bioPET perderá competitividade.