As quotas de mercado das garrafas de plástico

O mercado europeu das garrafas de plástico está estimado em cerca de 4,5 milhões de toneladas. As bebidas representam dois terços da procura de garrafas de plástico (em unidades). As tendências de crescimento diferem em função da categoriaimage de bebidas e da região, mas é nítida a tendência global do mercado das bebidas para as chamadas "opções saudáveis". A procura de garrafas de plástico produzidas por extrusão-sopro na Europa é impulsionada pela substituição das garrafas de vidro, das embalagens de cartão e das latas. Os consumidores tendem a fazer mais compras por impulso quando estão em movimento, daí resultando um procura adicional. Estas são as principais constatações num relatório publicado em Abril pela AMI Consulting (Bristol, Reino Unido).

Os líquidos alimentares beneficiam do aumento da quota das garrafas de plástico, especialmente nos segmentos do leite fresco e UHT, em detrimento da embalagem de cartão. Isto deve-se ao aumento das vendas de bebidas lácteas e aos progressos da tecnologia de garrafas barreira para leite UHT.

Os detergentes e outros produtos químicos de uso doméstico são um segmento maduro e a diferenciação no ponto de venda é um elemento-chave da inovação da embalagem. A inovação no design está focada na facilidade de uso para o consumidor e na dosagem precisa. Os formatos concorrentes em plástico, tais como as saquetas e outras embalagens flexíveis, bem como as embalagens termoformadas e injectadas, também estão a aumentar as suas quotas de mercado, afectando directamente a procura de garrafas. Por outro lado, as formulações de produtos concentrados e as garrafas de tamanho ‘promocional’ contribuem para reduzir a frequência das compras. Dada a elevada quota atingida neste4 segmento, o crescimento da procura de garrafas entrou em estagnação.
 
Os segmentos dos produtos cosméticos e de cuidado pessoal têm tendências similares mas ainda registam crescimento orgânico na Europa. As mini-garrafas registaram um crescimento rápido, provocado pelas restrições nos transportes aéreos. Esses formatos também são usados para líquidos de maquilhagem, segmento em que se assiste a uma mudança do vidro para o plástico.

Para os fabricantes de embalagens, é imperativo alinhar com as empresas de marca e os enchedores para poder prosperar. Equilibrar as necessidades individuais com a produção em massa continuará a ser o desafio para os transformadores nos próximos cinco anos. O mix de produtos cada vez mais complexo – marca própria versus marcas premium e produtos standard versus produtos especiais – combinado com a procura de flexibilidade por parte dos enchedores são factores de mudanças estratégicas no sector da extrusão-sopro.

Este relatório da AMI destina-se a ajudar os gestores e investidores a antecipar as mudanças e a definir estratégias de resposta, orientando o investimento em I&D e enfrentando as ameaças de forma proactiva. Está focado nos mercados UE28+3, abrangendo várias aplicações.