Procura global de PE vai aumentar 3,7% p.a.

imageA procura global de polietileno deverá crescer 3,7% por ano entre 2013 e 2018, um pouco mais do que no período entre 2013 e 2013, indica um relatório recente da empresa consultora GlobalData.

O relatório Global Polyethylene Industry – Emerging Markets in Asia-Pacific to Drive Modest Growth indica que este crescimento acima do histórico vai ocorrer nos EUA e na Europa, principalmente na Rússia. Os EUA terão  um crescimento de 2,4% por ano até 2018, em comparação com os 0,7% do período 2003-2013. Na Europa, incluindo a Rússia, o crescimento será de 2,8% por ano, praticamente o triplo da década anterior.
A região Ásia registará uma taxa de crescimento médio anual superior – 4,8% – , mas abaixo dos 6% registados na década anterior, reflectindo a desaceleração do crescimento.


Carmine Rositano, Directora de análise do sector a jusante do petróleo e gás, afirma: "os menores custos de matérias-primas com origem no gás de xisto dos EUA estão a proporcionar a este país uma vantagem competitiva, com investimentos acrescidos em unidades petroquímicas e aumentos da procura de PE nos mercados doméstico e internacional. Apesar de estar abaixo dos níveis históricos, o mercado asiático continua robusto e vai continuar a induzir o mercado global do  polietileno. Como resultado, espera-se que a capacidade de produção de PE aumente cerca de 5,3% entre 2013 e 2018, acima dos 3,6% registados na década antecedente. Os aumentos de capacidade deverão ocorrer sobretudo nos EUA, devido à sua vantagem competitiva, e também à Rússia, que está a investir na sua indústria petroquímica para reduzir a dependência das importações. Também estão previstos aumentos de capacidade na Ásia, mas abaixo do ritmo histórico."
Segundo a GlobalData, apesar de se esperar uma evolução moderada do custo do petróleo crude até 2018, os preços do PE deverão aumentar 1,3% por ano até 2018. Esta tendência pode atribuir-se ao facto de a procura de PE aumentar o triplo da procura de petróleo. Segundo Carmine Rosiano, "a tendência principal do mercado do PE será a sobrecapacidade nos EUA e a consequente expansão das exportações para os mercados sul-americano e asiático. Adicionalmente, os menores custos de matérias-primas e combustíveis para as fábricas dos EUA, comparativamente aos custos suportados na Europa, vão dar origem ao encerramento de fábricas na Europa e ao conseguinte ajustamento dos fluxos comerciais do PE à escala global".
Para mais informações sobre este relatório, clicar AQUI.