AR COMPRIMIDO: COMO COMPRIMIR OS CUSTOS

A sessão de Sábado do XXXI SEMINÁRIO DOS PLÁSTICOS começou com uma comunicação da Kaiser Kompressoren sobre os custos do ar comprimido, a sua influência nas estruturas de custos. “Os sistemas de ar comprimido são como uma caixa negra” – referiu  Carlos Sestelo, o orador da Kaiser, salientando a metodologia de auditoria de custos dos sistemas (ISO 11011) e as oportunidades de melhoria usando instrumentos de medição de dados (potências, pressão, ponto de orvalho, caudal, perfis de consumo, diagramas de carga, etc.). Reduzir fugas, medir e racionalizar os consumos são os objectivos principais das metodologias de melhoria de eficiência dos sistemas de ar comprimido.

image

Entrando no detalhe, Carlos Sestelo sintetizou as condições e medidas de melhoria nos diferentes componentes dos sistemas de ar comprimido: centrais de ar comprimido (compressores ajustados ao consumo, potência específica, redução da pressão de descarga, recuperação de calor, tratamento do ar, secadores de carga parcial, controlo e monitorização, armazenamento de ar com pressão estável), rede de distribuição, etc..
O Sigma Air Manager é o sistema de controlo mais recente da Kaiser tem capacidade para optimizar o sistema em função das necessidades, de forma dinâmica, ao longo dos turnos de produção. Tem também ligação à Kaiser para efectuar rotinas de manutenção predictiva.
A comunicação concluiu com alguns exemplos práticos.