Economia Portuguesa precisa de uma indústria forte

“Sem uma indústria forte, nenhuma economia consegue enfrentar os choques”- disse António Saraiva na sua intervenção no XXXII Seminário de Plásticos. “O desequilíbrio externo e o crescimento da díóúvida estao relacionados com o processo de desindustrialização que ocorreu em Portugal”. O objetivo da CIP é trabalhar para que o peso da indúśtria no PIB suba para 18% até 2020.

O desenvolvimento não pode basear-se na procura interna, é necessário internacionalizar e ganhar peso no contexto da globalizaçãõ, referiu o presidente da CIP.

Para relançar o investimento na indúśtria, há´que estar atento aos custos suportados pelas empresas. Uma das causas do abrandamento económico e da quebra do investimento é o impacto dos custos salariais não compensada por acréscimos de produtividade, bem como os custos da energia. Daí a importancia da concertação social e da aposta noutros fatores de competitividade não especificamente  salariais. A concertação social não deve limitar-se a discutir o salário mínimo. Há muito mais fatores a que Portugal deve lançar mão.