Recomendações para o investimento em centrais fotovoltaicas

​O tema da energia tem sido uma constante nos Seminários de Plásticos organizados pela APIP. A edição deste ano não fugiu à regra. Sofia Tavares, diretora de Serviços de Energia B2B da EDP Comercial, partilhou com os participantes do XXXII Seminário de Plásticos informaão essencial sobre o investimento industrial na energia solar fotovoltaica. A auto-produção de energia permite reduções na fatura de energia entre 10 e 20%. Por outro lado, o equipamento tem uma vida util entre 25 e 30 anos.

A central fotovoltaica deve ser bem dimensionada, para minimizar a injeção de energia na rede (menos rentável). É necessário monitorizar as necessidades de energia, para prever o recurso à energia fotovoltaica produzida. No mercado, existe grande variedade na oferta de equipamentos, mas é necessário verificar o rendimento desses equipamentos. Os preços dos equipamentos estão a baixae cerca de 10% ao ano. Mais do que o preço, as empresas devem verificar a qualidade e capacidade tecnológica das empresas forneceoras, bem como as garantias que oferecem e a forma como essas garantias podem ser acionadas.
O dimensionamento deve ser ajustado às condições do local onde a central fotovooltaica vai ser instalada, para garantir a máxima eficiência. Pequenas diferenças podem ter efeito significativo na rentabilidade.

O investimento pode ser considerável. Alguns milhares de euros de diferença podem não ser relevantes tendo em conta o tempo de vida útil expectável.

Para sublinhar estas regras, a engª Sofia Tavares apresentou exemplos práticos de investimento em centrais fotovoltaicas e várias simulações de dimensionamento, investimento e payback. Atualmente, a EDP monitoriza cerca de 5000 centrais fotovoltaicas.