Conferência sobre espumas plásticas

image_thumb[1]A próxima conferência internacional Polymer Foam 2015, organizada pela AMI, reunirá produtores e especialistas de espumas de todo o mundo e terá lugar nos dias 2 a 4 de Novembro em Colónia, Alemanha. O recurso à tecnologia de espuma está a aumentar em todos os campos do processamento de plásticos e o professor Volker Altstaedt abrirá a conferência com uma panorâmica sobre o estado da arte desta tecnologia. As principais aplicações vão desde a construção de painéis para paredes até ao fabrico e tubos e revestimentos, mobiliário, componentes auto, estruturas compósitas para aplicações navais e eólicas (como é o caso das espumas fornecidas por empresas como a 3A Composites/Airex, para além das embalagens protectoras.
As espumas plásticas têm propriedades benéficas como o isolamento térmico e sonoro. A Armacell e a Techno Nicol estão na linha da frente nas espumas para construção, enquajhnto a BASF Polyurethans tem um um novo material de isolamento de alta performance. As espumas apresentam outras vantagens como o amortecimento e a resistência ao impacto, a redução de peso e de custos, devido à baixa densidade do material. As espumas podem ser fabricadas com equipamentos de tipos diversos (extrusoras, máquinas de injecção, expansão a vapor) e com técnicas igualmente diversas, desde a moldação estrutural até à extrusão plana.
No sector automóvel, a Valeo Thermal Systems está a usar a tecnologia de espumas para reduzir tempos de ciclo e de peso. A Faurecia Interior Systems tem vindo a trabalhar na optimização da morfologia de um isolador híbrido rígido fabricado por injecção. A Mecaplast, por seu turno, tem vindo a desenvolver, em colaboração com várias empresas do sector automóvel, novas soluções para fabricar peças visíveis baseadas na tecnologia de espumas.
Registam-se entretanto inovações na área das espumas, tais como a melhoria da estrutura celular. Em termos de poliolefinas, a Sinopec (China) produziu um copolímero para uso em "pérolas" de PE expandido, e a Total (Bélgica) tem um novo grau de PEBD para espumas de alto desempenho. A reciclagem de espumas também está a afirmar-se e empresas como a Schmitz Holding estão a retomar resíduos industriais de XPE.

Aumenta também o interesse pelo fabrico de embalagens a partir de materiais de origem "bio" e biodegradáveis. A Inde Plastik Betriebs produziu tabuleiros de espuma a partir de acetato de celulose modificado e a Macro Engineering levou a cabo estudos para optimizar o equipamento para extrusão tandem de PLA resistente à temperatura para embalagens compatíveis com os processos de enchimento a quente.
A conferência irá destacar também os desenvolvimentos recentes na área dos agentes expansores e nucleantes, designadamente algumas ideias para substituir as azodicarbonamidas, como é o caso dos agentes químicos endotérmicos da Reedy Chemical Foam & Specialty Additives. A Clariant Masterbatch vai apresentar o estado actual dos agentes expansores e nucleantes na indústria e a Imerys vai destacar um novo agente nucleante.

No sector do poliestireno, a Dow desenvolveu uma nova espuma micro-celular de baixa densidade. As pérolas de PS são habitualmente produzidas com um agente expansor baseado em pentano, mas já existem alternativas, com melhor desempenho ambiental. Por exemplo, a SABIC tem obtido bons resultados na expansão de PS com água.

O controlo da estrutura da espuma determina as propriedades e a qualidade dos produtos resultantes. O Prof. Perez, do  Cellular Materials Laboratory estudou a forma de melhorar a performance de estruturas celulares em escala nano. O construtur de extrusoras de fusos paralelos desenvolveu tecnologia para métodos físicos e químicos para produção de espumas. A Promix Solutions está focada no controlo do processo de formação de espumas.

Para mais informação sobre a conferência internacional Polymer Foam 2015, clicar AQUI.

Anúncios

Espumas plásticas com propriedades insecticidas

imageO Centro Tecnológico de Plásticos AIMPLAS, a Inesfly Corporation de Valência e a Universidade de Saragoça estão a desenvolver um processo de incorporação de substâncias insecticidas em espumas plásticas. O novo material permitirá fabricar solas de sandálias e tapetes que repelem os insectos transmissores de doenças como a malária, a febre dengue, a tripanossomíase americana (doença de Chagas) e a leishmaniose.

LEIA O RESTO DA NOTÍCIA

Inovação nos isolamentos de poliuretano na UTECH Europe

Isolamentos térmicos economizadores de energia que mantêm o calor nos edifícios e mantêm as baixas temperaturas nos armazéns estão entre as aplicações em que os poliuretanos desempenham um papel vital nos sectores da construção e do controlo de temperatura. As inovações mais recentes na formulação e fabrico de poliuretanos para desempenho térmico e retardamento de chama serão apresentadas na conferência e exposição trienal UTECH Europe que tem lugar nos dias 14 a 16 de Abril, em Maastricht, Holanda, de 14 a 16 de Abril.

Com mais de 90 apresentações técnicas detalhadas, divididas por 11 sessões, a conferência UTECH Europe irá abranger os desenvolvimentos mais recentes no mundo dos poliuretanos e revelar aspectos essenciais do mercado global. Na tarde do 2º dia da conferência (15 de Abril), decorrerá uma sessão com 11 comunicações dedicadas a inovações no uso e fabrico de poliuretanos em espumas rígidas, com oradores das empresas Dow Polyurethanes, DuPont, Bayer MaterialScience, Momentive, Air Products, ICL-IP, Foam Supplies Inc, BASF, Honeywell e Lambiotte.

Giuseppe Vairo, da Dow, apresentará as mais recentes tecnologias de reacção ao fogo em poliuretanos para construção. A Dow desenvolveu um conceito inovador de painel para os fabricantes de painéis metálicos isolados (IMPs) com um desempenho de retardamento de chama que permitirá um uso mais alargado de painéis com interior de poliuretano (PUR) e poliisocianurato (PIR) em aplicações com os requisitos mais exigentes de segurança contra incêndios.

imageMarc Fricke, da BASF, apresentará o SLENTITE – um novo material de isolamento de alta performance para aplicações de climatização. É um novo tipo de aerogel orgânico baseado na química do poliuretano. Os aerogéis são materiais altamente porosos e 90% do seu volume consiste em poros de ar. O desempenho excepcional de isolamento é possível graças ao dimensionamento dos poros na escala nanométrica. O novo material permite isolamentos 25 a 50% mais finos, comparativamente aos produtos convencionais.

David Williams, Director de Tecnologia da Honeywell, fará uma apresentação sobre os benefícios ambientais na cadeia de frio através de um novo agente expansor líquido de alta performance. O Solstice LBA está a ser adoptado por fabricantes de electrodomésticos residenciais e comerciais, tais como a Whirlpool, a Hailer e a Midea, bem como por fabricantes de espumas spray e painéis de isolamento, tais como a LaPolla, a Kingspan, e a SoflanWiz, para reduzir o impacte ambiental e assegurar a conformidade com as regulamentações sobre ambiente e eficiência energética.

A exposição UTECH

Na exposição UTECH Europe, mais de 190 empresas vão apresentar as suas mais recentes novidades na área dos poliuretanos. A Dow Polyurethanes vai apresentar a nova gama de retardantes não halogenados VORATHERMTM CN 100 com tecnologia PIR para painéis de isolamento compatíveis com os níveis de performance B-s1,d0 Top Euroclass. A tecnologia Pascal™ Pro estará também em destaque, com as suas características de eficiência energética e produtividade para a indústria de refrigeração e fabrico de painéis para armazéns frigoríficos. Vai também apresentar os sistemas Voraforce™ para compósitos fabricados por pultrusão ou para enrolamento de filamentos destinados a aplicações na construção e infraestruturas.

A ICL-IP vai apresentar uma tecnologia reactiva de retardantes para poliuretanos destinados a aplicações de isolamento térmico.

A INVISTA apresentará inovações que incluem polióis de poliéster TERATE® HT para espumas rígidas para isolamento.

Para mais informação sobre a UTECH Europe, ou para inscrição antecipada e gratuita na exposição, clicar AQUI.

BASF aumenta capacidade para EPS

imageA BASF planeia aumentar a capacidade do material de isolamento e m poliestireno expandido (EPS) Neopor®, na sua fábrica de Ludwigshafen (Alemanha) em etapas de 60 000 toneladas/ano, entre Dezembro de 2011 e Outubro de 2013. O EPS cinza Neopor é uma "versão avançada" do EPS Styropor®. A adição de partículas de grafite está na origem da côr cinza e do desempenho de isolamento até 20% acima do EPS branco.

O aumento de capacidade será atingido através da expansão da unidades de produção actuais; este é o segundo aumento da capacidade de produção do Neopor em Ludwigshafen num período de três anos. Em 1998, a BASF foi o primeiro produtor de EPS a incluir uma material de isolamento cinza no seu portefólio. A tendência internacional para a adoptação de materiais de isolamento de alta eficiência, particularmente para aplicações exteriores, continua em destaque. O isolamento térmico é reconhecidamente um dos principais factores para a redução das emissões de CO2, necessária para corresponder aos objectivos da legislação cada vez mais exigente em matéria de economia de energia. O Neopor é usado quer em construção nova, quer em remodelação de edifícios e presta um contributo significativo para a protecção climática. Na Alemanha, cerca de 30% de todos os materiais de isolamento baseados no EPS são usados em edifícios novos. A remodelação de edifícios absorve a maior fatia – 70% e as previsões apontam para o aumento desta quota para 75% em 2012.

O granulado cinzento Neopor é uma versão avançada do Styropor que contém parículas especiais de grafite que reflectem a radiação como um espelho e que reduzem a perdas de calor dos edifícios. O granulado é expandido pelos clientes da BASF e transformado em placas ou peça moldadas para isolar fachadas, coberturas e pavimentos.

Compostos de PLA melhorados

A FKuR (Willich, Alemanha) e a Synbra (Etten-Leur, Holanda) anunciara, um PLA de "segunda geração", com maior resistência térmica e baseado em carbohidratos não geneticamente modificados. O processo de polimerização tem lugar na nova fábrica da Synbra em Etten-Leur, com uma capacidade de 5000 t/ano. A matéria-prima de base (lactide) é produzida pelo processo de fermentação Purac.
A FKuR e a Synbra visam aplicações de altas temperaturas que até agora não estão acessíveis aos bioplásticos. Ao combinar PLLA quase 100% puro com PDLA a altas temperaturas, produz-se um PLA "estereocomplexo" (sc-PLA) com propriedades que excedem as dos homopolímeros individuais. A temperatura de fusão do novo complexo é de cerca de 220 °C, mais 50 °C que a do PLA convencional.
a FKuR Kunststoff GmbH produz e comercializa biopolímeros especiais e "customizados", sob as marcas Bio-Flex® (composto PLA/copolyester), Biograde® (composto celulose-ester) e Fibrolon® (polímeros reforçados com fibras naturais).
A Synbra Technology bv é a unidade de polimerização e de investigação do grupo Synbra, com uma posição descacada no mercado europeu do EPS. A Synbra Holding tem um volume de negócios de 300 milhões de euros, cerca de 1400 empregados e fábricas na Holanda, Alemanha, França, Dinamarca, Reino Unido e Portugal. A espuma BioFoam® é um dos exemplos recentes de inovação do grupo Synbra.

Folha rPET com micro-bolhas

Depois de vários anos de desenvolvimento, a MicroGREN Polymers (Seattle, EUA) anunciou o lançamento da InCycle™, uma tecnologia revolucionária para transformar rPET (PET reciclado)em chapa com micro-bolhas destinada a aplicações de embalagem (termoformagem), entre outras. Embalagens termoformadas, painéis publicitários e outros artigos podem ser fabricados com menos quantidade de matéria-prima. As folhas InCycle são fabricadas com PET reciclado que é expandido usando a tecnologia Ad-air® patenteada pela MicroGREEN. Graças a esta tecnologia de expansão, é possível aumentar o rendimento do rPET. Com o reciclado de uma garrafa podem produzir-se sete copos usando a chapa InCycle.
A expansão  também melhora as características térmicas, de isolamento, flexibilidade e resistência ao impacto, multiplicando as aplicações possíveis para as chapas de rPET InCycle, comparativamente à chapa de PET sólido. Em aplicações de embalagem, a chapa InCycle permite transições bruscas entre o congelador e o micro-ondas.

Para ver um pequeno filme sobre o processo InCycle, CLICAR AQUI.

Leve como uma pena, quente como um edredão

Espuma de melamina como material economizador de energia

imageTendo em conta a necessidade crescente de economia de energia e de eficiência dos materiais, o isolamento técnico e a construção leve estão a ganhar importância. A espuma Basotect® da BASF oferece soluções económicas, feitas por medida, para aproveitar a energia e os materiais de forma a contribuir para a conservação dos recursos. Este material permite um baixo consumo de energia, menos emissões de CO2 e um estilo de vida ambientalmente correcto. Os sectores da construção e da mobilidade são os que mais podem beneficiar do potencial este material termicamente isolante e leve, para melhorar a eficiência energética: a espuma Basotect está actualmente a ser usada com frequência cada vez maior nos sistemas de energia solar térmica, nos sistemas de ar condicionado e nos comboios de alta velocidade. LEIA O RESTO DO ARTIGO