Indústria de extrusão de filmes PE recupera da recessão

A 9a edição do relatório Guide to The Polyethylene Film Extrusion Industry in Europe, editada em Outubro de 2011 pela AMI, dá conta do início da recuperação da indústria de extrusão de filmes de PE, depois da queda sem precedentes registada nos anos anteriores. Entre 2007 e 2009, a produção europeia de filmes de PE caiu 1 milhão de toneladas. Em 2010, o sector recuperou cerca de metade desse volume e chegou aos 7,5 milhões de toneladas (cerca de 19% do consumo total de plásticos na Europa). A recessão fez desaparecer 5% das empresas do sector. O sector da embalagem alimentar resistiu melhor, mas a recessão foi especialmente dura no sector dos sacos de plástico, dos sacos industriais e dos filmes para construção.

O filme estirável continua a ser o segmento individual com maior volume, tendo a seu favor o facto de ser a solução com melhor rendimento para o envolvimento de cargas paletizadas. Em contrapartida, o segmento dos sacos de compras começou a sofrer duras pressões ambientais, incluindo impostos, restrições, incentivos e campanhas para usar sacos reutilizáveis e importações de sacos de plástico da Ásia. Segundo a AMI, as vendas de sacos para lixo continuaram a subir, em resultado do desenvolvimento dos circuitos de separação, triagem e reciclagem de resíduos domésticos.

Outra mudança a assinalar foi o aumento da procura de filmes multi-camada mais sofisticados (coextrusão), os quais representaram em 2010 9% da produção de filme de PE na Europa (contra apenas 5% na edição anterior do relatório da AMI). Cerca de 10% das empresas listadas pelo relatório mais recente tem capacidade para produzir filmes com 5 ou mais camadas.          

A distribuição da produção de filme PE na Europa não sofreu moimage_thumb[3]dificação significativa. a Itália continua a ser o maior produtor (18 %) seguida de muito perto pela Alemanha (18 %). No entanto, a Itália tem uma indústria mais fragmentada (mais uma centena de produtores que a Alemanha). A Polónia é o principal produtor de filmes PE na Europa central, com cerca de 50% da produção total dessa região e também com o maior número de produtores.   

A indústria de filmes PE está a sair da recessão e a AMI prevê que a produção acompanhe a evolução do PIB na Europa. Com um crescimento médio anual de 2 a 3 %, a indústria poderá chegar a 2015 com uma quantidade global processada de 8,7 milhões de toneladas.

Anúncios

Coextrusão Triple Bubble: alta barreira sem alumínio

Oimage eng. Marcel Perrevort, director de extrusão-sopro de filme do Kuhne Group, apresentou no XXVII SEMINÁRIO DE PLÁSTICOS a evolução recente da tecnologia de extrusão que permite produzir filmes plásticos com propriedades barreira elevadas. No sector das embalagens flexíveis, as soluções de alta barreira tradicionais baseiam-se frequentemente na laminagem (complexagem) com folha de alumínio. A tecnologia de extrusão e a evolução dos materiais permite evitar o alumínio.  A solução tem vantagens económicas e ambientas, dado que as embalagens flexíveis sem alumínio são muito mais fáceis de reciclar.

A tecnologia proposta pelo Kuhne Group é designada pela expressão ‘Triple Bubble’ – triplo balão e consiste nas seguintes etapas:
-extrusão ou coextrusão de filme com 1 a 11 camadas,
– o primeiro "balão" (ou "pré-tubo")é submetido a um arrefecimento rápido (com utilização de água) para um estado amorfo ou semi-cristalino;perrevort1
– reaquecimento do filme com água quente ou radiação infra-vermelha para dar origem ao segundo balão;
– no segundo balão, o filme é orientado na direcção máquina (factor 2 a 4) por tracção mecânica, e orientado na direcção transversal (factor 3 a 5) por sopro de ar;
– no terceiro balão, ocorre a etapa de "termofixação", com temperatura aplicada de forma controlada (ar quente/aquecedores de radiação ou vapor), de modo a obter-se a retracção adequada à aplicação final (p. ex: 0 a menos de 5% para filmes de fecho, 15% para filmes de embalagem de salsichas, 30 a menos de 70% para sacos retrácteis);
– na etapa final, o filme é tirado e bobinado.

perrevort2

Segundo o Kuhne Group, este processo contraria algumas "ideias feitas" sobre a biorientação. Os filmes "triple bubble" são perrevort3termoseláveis, podem ser altamente transprentes, são recicláveis, tem pelabilidade e propriedades antibloqueio, antiestáticas e anti-enevoamento, podem ter baixa retracção e podem ser produzidos a velocidades comparáveis à da extrusão cast.

O processo Triple Bubble envolve 1 a 11 camadas, combinando, consoante as aplicações, PE, PP, PET, PA, EVOH, MXD6, EMA, EVA, e resina ionómera.

Folha rPET com micro-bolhas

Depois de vários anos de desenvolvimento, a MicroGREN Polymers (Seattle, EUA) anunciou o lançamento da InCycle™, uma tecnologia revolucionária para transformar rPET (PET reciclado)em chapa com micro-bolhas destinada a aplicações de embalagem (termoformagem), entre outras. Embalagens termoformadas, painéis publicitários e outros artigos podem ser fabricados com menos quantidade de matéria-prima. As folhas InCycle são fabricadas com PET reciclado que é expandido usando a tecnologia Ad-air® patenteada pela MicroGREEN. Graças a esta tecnologia de expansão, é possível aumentar o rendimento do rPET. Com o reciclado de uma garrafa podem produzir-se sete copos usando a chapa InCycle.
A expansão  também melhora as características térmicas, de isolamento, flexibilidade e resistência ao impacto, multiplicando as aplicações possíveis para as chapas de rPET InCycle, comparativamente à chapa de PET sólido. Em aplicações de embalagem, a chapa InCycle permite transições bruscas entre o congelador e o micro-ondas.

Para ver um pequeno filme sobre o processo InCycle, CLICAR AQUI.

Fieiras ProCone

imageA Davis-Standard (Bridgewater, N.J., EUA) lançou recentemente as fieiras ProCone para extrusão tubular de filmes com estruturas de 5 a 9 camadas. Desenvolvidas para proporcionar a máxima versatilidade nas produção de filmes barreira, estas fieiras têm mandris em arranjo empilhável que permite o movimento vertical dos mandris no interior da fieira e também o movimento angular dos madris uns em relação aos outros. Graças a este arranjo, a fieira tem a necessária flexibilidade para mudar as relações de espessura entre camadas sem ter que alterar a posição da extrusora. O movimento permite que os módulos, isto é, um cone e um anel, rodem para partilhar uma extrusora ou sejam desligados e movidos para serem utilizados para outra extrusora. Adicionalmente, estão disponíveis módulos interpermutáveis que podem ser utilizados para especificações diferentes ou para lidar com resinas especiais, consoante as necessidades.

Ledia mais

CASFIL expandiu capacidade de produção

A CASFIL (Vila das Aves) aumentou a sua capacidade de produção de PP cast (extrusão plana). Apesar da situação dos mercados nos anos mais recentes, a empresa reportou um crescimento contínuo das suas vendas, em volume e valor. As vendas nos mercados internacionais passaram de 72% para 76% das vendas totais, aumentando a quota de mercado na Europa. A facturação total poderá rondar os 60 milhões de euros até ao final de 2010.

Com base na sua própria experiência como transformador, a CASFIL concretizou uma mudança estratégica com investimentos avultados em tecnologias avançadas de extrusão e tornou-se num dos principais fornecedores de filmes de PP e BOPP para os transformadores europeus, fornecendo diversos segmentos da indústria de embalagens flexíveis.

Linhas de extrusão para "filmes solares"

imageOs filmes de EVA são utilizados para encapsulamento de células em painéis fotovoltaicos, tendo que responder a exigências como retracção baixa ou mesmo nula. As linhas de extrusão convencionais apenas permitem o processamento a baixa velocidade. A velocidades acima de 5 metros por minuto pode ocorrer elevada retracção do filme, tornando impossível o seu processamento posterior. A Breyer (Singen, Alemanha) desenvolveu um sistema para a produção de filme EVA e outros materiais adesivos que permite velocidades mais elevadas e, por conseguinte, maior produção comparativamente aos sistemas de extrusão convencionais. Segundo a Breyer, este processo permite uma produção praticamente sem retracção a alta velocidade, com a possibilidade de processamento de materiais adesivos como o EVA de modo mais fácil em comparação com os sistemas de calandragem/cast.

Tendências do mercado da extrusão tubular

A crise económica mundial colocou uma enorme pressão sobre a indústria alemã de construção de máquinas e sobre os construtores de linhas de extrusão em particular, forçando-os a reequacionar as suas actividades. Segundo a Reifenhäuser, os construtores de máquinas responderam de duas maneiras: linhas de extrusão de filmes de 3 camadas para aplicações standard e linhas de 5,7, e 9 camadas para filmes de alta qualidade e preço mais elevado.

LEIA MAIS